26
Abr
10

Como comecei o Tricot (knitcroblo1)

Bem é verdade, depois de ver o post da Rosário decidi participar no:

Knit & Crochet blog Week

I’m sorry for does who came in here and can’t read my post, but my ingles is not very good and so I continuing to writhe it in Portuguese.

Continuando, de acordo com as regras, durante esta semana terei que todos os dias escrever algo sobre tricot, mas não algo que simplesmente me apeteça, mas sim sobre o tema de cada dia. Hoje é sobre o começo.

Quando comecei o blog, fiz um post a explicar como tudo aconteceu, mas sei que o que escrevi foi muito pouco, por isso vou tentar dizer algo mais.

Acho que desde que me recordo que sei fazer tricot, não sei quem me ensinou e duvido muito que tenha sido a minha mãe. Lembro-me que aprendi a fazer crochet na escola (Verdade!!!!). Para a oferta de um dia da mãe a minha professora (estava num colégio na primária) decidiu que faríamos uma pega em forma de vestido para oferecer. A minha mãe teve essa pega durante anos, e não sei como parece que a nossa professora nos ensinou bem.

Continuando com o tricot, o mais antigo que me recordo, é de ter umas agulhas rectas com as pontas em bico e outras com ganho e estar a tricotar algo para uma boneca minha numa sala de espera. Não sei que idade teria uns 7 8 anos? Sei que por anos não peguei nas agulhas salvo raras excepções em que me dava uma saudade e lá fazia algo (à uns tempos descobri umas roupas, ou lá o que seria aquilo que fiz para as minhas bonecas…).

Há mais ou menos uns 5 anos, ao ver uma colega do trabalho a tricotar fiquei curiosa. Foi através dela que descobri o maravilhoso mundo da net e que pude sem dúvida relembrar o pouco que sabia e aprender muito mais. O Knit Help foi a minha grande ajuda, e o meu primeiro Grupo de Tricot um grande alicerce. Obrigada à Filomena, Xana e Alexia pelas grandes ajudas que me deram.

No entanto acho que ainda tenho muito a aprender. A verdade é que só à pouco comecei a fazer Jacquard, e as minhas primeiras meias foram tricotadas o ano passado, no entanto já pouco recorro aos vídeos, e normalmente arrisco só com os modelos como apoio. Normalmente uso modelos em inglês, mas recordo-me que nos primeiros tempos traduzia os modelos todos para português antes de começar!

E bem agora fico por aqui. Mais post’s virão.

Bjs a todas as que tiveram a grande paciência de ler este post.

Mónica

Anúncios

9 Responses to “Como comecei o Tricot (knitcroblo1)”


  1. 26 de Abril de 2010 às 8:29 am

    isto é mesmo engraçado! não fazia ideia que tinhas começado “a sério” só há 5 ou 6 anos…
    ainda não li o teu blog todo até ao inicio; não por não querer mas realmente não conseguimos ver todos os blogs, mesmo aqueles que gostamos muito (como é o caso) não é?
    fiquei curiosa… se falas da Xana e da Filomena do Porto, como te ajudaram? pela net? gostava que falasses mais um bocadinho desses grupo de tricot.
    neste sábado tive mais um workshop e esteve presente uma senhora que já participou em muitos encontros. por razões pessoais teve de deixar de ír mas diz que gostava muito.
    o único encontro de tricot em que participei foi o do Porto (prático…) mas gostava muito de participar em mais.
    foste muito rápida na publicação deste post. o meu fica para mais logo. o inglês de facto não ajuda mas sem isso as outras participantes não poderão ler… uma vez que o resto do mundo não lê português, temos de fazer nós mais esse esforço!
    beijinhos Mónica
    gostei muito que tivesses participado nisto 🙂

    • 26 de Abril de 2010 às 2:10 pm

      Oi Rosário,

      Ora bem vamos cá a ver se respondo ou elucido tudo o escreveste sem fazer um “post”,-)

      Pois, acho que nem eu li o teu blog todo, nem de quase nenhum da minha lista. O problema é que quando começamos a acompanhar os blogs temos já muita coisa publicada e não é viável vermos tudo. Não te preocupes, é por isso que temos estes questionários 😉
      Sim foi á pouco tempo, mas a verdade é que pratico todos os dias (ou quase), e por isso aliado ao facto de já saber o básico evolui (pelo menos é o que acho) muito neste tempo.

      Quando comecei juntei-me a um grupo para tentar ter alguma ajuda. Acabou por ser o grupo do Porto. Na altura era muito “naba”, queria fazer muita coisa e no entanto nem ler em ingles sabia. Por algumas vezes elas ajudaram-me em algumas traduções, noutras ao enviarem sites com informação preciosa, sei lá, era uma troca frequente de mensagens entre nós (sempre através do yahho). Foi a Alexia que me aliciou para formar o meu primeiro blog, no entanto ela própria só o fez bem mais tarde. Mas ajuda não ficou por ai, pois como tu cheguei a ir a 2 encontros no Porto e a ter a visita da Xana no meu encontro no Seixal e a revê-las mais recentemente no encontro em Lisboa (Dia Internacional de Tricotar em Público). Lembro-me que foi a Filomena que me ensinou a montar malhas como faço agora.
      Quanto a encontros não conheço muito mas os que conheço tenho apontado no meu blog do Tricot Seixal. Na tua zona não conheço nenhum… Mas podes sempre tentar criar um, só precisas de mais alguém para te fazer companhia e esperar que apareçam mais!
      Por fim, a rapidez na publicação do post (e vais reparar isso nos outros) é porque os agendo. Faço-os quando tenho mais liberdade de tempo e depois é só agendar! Pois, o ingles dificulta sem dúvida, e como o meu não é muito bom (fico pelo rasoável) prefiro não o fazer, não vá sair alguma gafe (já bastam as que saem em Português).
      E por fim (já está quase um post) eu gosto muito de participar nestas coisas, acho que ajudam sempre a que quem está do outro lado nos possa conhecer um pouco melhor.
      Agora tenho de ir fazer um post sobre o encontro de ontem.

      Bjs

      Mónica

  2. 26 de Abril de 2010 às 2:16 pm

    obrigada Mónica!
    de facto as tricotadeiras do Porto são especiais…
    quanto à criação de um grupo eu gostei da tua sugestão (que aliás não foi de agora). no dia 1 de Maio vou estar no Jardim da Estrela (pode ser que consigas vir) e em Junho vai ser aqui mais perto de mim, numa praia. mas, mais adiante darei notícias.
    pode ser que eu tenha a tua sorte e consiga a visita de tão ilustres participantes!
    beijinhos e obrigada

  3. 26 de Abril de 2010 às 4:04 pm

    Tudo começa ou porque a pessoa manifesta interesse por algo ou porque alguém nos acaba por despertar o interesse por essa coisa. Nada aparece do nada. Tudo tem uma explicação.E, se na fase inicial a “professora” é realmente boa e consegue transmitir bons conhecimentos, a aprendiz acaba por ficar entusiasmada com a aprendizagem. Lembro-me que na 4ª classe a professora quis ensinar as meninas a fazer um cachecol . Lembro-me, como se fosse hoje da minha obra de arte. Lá estavam as tais agulhas rígidas, finas, prateadas, com um bico afiado. ERa um regalo para as malhas cairem das mãos de quem nada sabia. Mas ela lá me ensinou a maneira de trabalhar o fio e de as malhas não cairem. Claro que a malha saiu irregular e nuns bocados mais apertada que noutros. Mas o cachecol – verde vivo, lá saiu. Começava-se com 1 malha.Todas as carreiras aumentava 1 de cada lado. Passado pouco tempo diminuia tal como tinha aumentado,Mais ou menos ao chegar a metade desse tal losango,as carreiras tinham sempre as mesmas malhas. Lembro-me de a professora estar a medir o meu pescoço e dizer: vamos fazer outra parte igual,mas com um buraquinho no meio do losango, para prender a outra ponte e ele não cair do casaco. SEi que o fiz num instante.E também sei que naquele inverno eu mais parecia a bandeira portuguesa: casaco comprido vermelho e cachecol verde vivo.
    Lindo!
    lol lol

    bjs

  4. 26 de Abril de 2010 às 6:13 pm

    Acho que vai ser muito interessante ler todos os posts, assim ficamos te conhecendo um pouco mais. Já gostei do primeiro.
    bjs

  5. 26 de Abril de 2010 às 8:31 pm

    Olá Mónica,
    Que giro, o teu inicio é um pouco parecido como meu, com a excepção de que foi a minha mãe que me ensinou o básico.
    Quanto ao inglês a Rosário tem razão, e não te preocupes porque mesmo com erros fica compreensível para quem lê e é uma maneira de praticares…
    Beijinhos
    Manela
    P.S. Não fazes encontro no próximo mês?

  6. 1 de Maio de 2010 às 2:39 pm

    Pois eu comecei com o tricô e foi a minha mãe que me ensinou… Lembro-me que era muito novinha e lembro-me que na altura me fascinava a forma como a minha mãe conseguia por as malhas nas agulhas (início) tão depressa… Não descansei enquanto não aprendi como fazer. Já o croché foi uma tia minha (que já faleceu) que me ensinou a fazer… Um pouco mais tarde, devia ter uns 12 ou 13 anos.
    Também comecei a fazer coisinhas para as bonecas (na altura eram as Tuchas), e lembro-me de uns vestidos em croché (ponto baixo) todos trabalhados com chapéus a condizer… LOL.

  7. 9 Sara Silva
    7 de Setembro de 2010 às 3:15 pm

    Também quero apreder…
    Quer dizer, á muito que queria aprender, quando fiquei gravida e durante os meses que estive em casa aproveitei pra aprender o maximo que pode… cheguei a fazer um cascol e uns casacos para o Simão mas soube-m a pouco. Primeiro porque as aulas eram caras e pouco produtivas pois aconteciam a um canto de uma retrosaria entre clientes e uma professora para umas tantas alunas… O bichinho aui ficou, além de ser uma excelente terapia de relaxamento… ao menos enquanto tricoto, n penso em mais nada.
    Moro na zona de Sintra e s souberem de uma forma de eu alimentar o meu bichinho digam…
    Beijos


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Encomendas

Caso pretendam alguma peça tricotada por mim, é só entrar em contacto através do email (mamamartinho@gmail.com) com a informação do que pretendem, que eu irei responder.

Escreve o teu endereço de e-mail para seguir este blog e receber as notificações de novos posts por e-mail.

Junte-se a 539 outros seguidores

Categorias

Arquivos


%d bloggers like this: